Parceria 10

EGRANA

Veja quem são os mortos na tragédia em creche no Norte de MG

Sete crianças, uma professora de 43 anos e o autor do crime morreram. Damião Soares dos Santos ateou fogo ao seu próprio corpo e em alunos da creche Gente Inocente.


Por G1
 
Sete crianças, uma professora e o próprio autor do crime morreram na quinta-feira (5), no incêndio criminoso ocorrido no Centro Municipal de Educação Infantil Gente InocenteDamião Soares dos Santos, que trabalhava como vigia noturno no local desde 2008, jogou álcool nas crianças e nele mesmo e, em seguida, ateou fogo.
Nesta sexta-feira (6), 41 pessoas seguiam internadas em hospitais de Janaúba, Montes Claros e Belo Horizonte, de acordo com informações do Corpo de Bombeiros. Entre os feridos que seguem em hospital, 37 são crianças.
Veja abaixo quem são os mortos na tragédia.
Laira guarda várias fotos no celular com Luiz (Foto: Laira Sandriane Rodrigues Silva/ Arquivo pessoal)Laira guarda várias fotos no celular com Luiz (Foto: Laira Sandriane Rodrigues Silva/ Arquivo pessoal)
Laira guarda várias fotos no celular com Luiz (Foto: Laira Sandriane Rodrigues Silva/ Arquivo pessoal)
Luiz Davi Carlos Rodrigues, de 4 anos, estudava na creche. Sua prima, Laira Sandriane Rodrigues Silva, conta que era considerada a segunda mãe do menino e desabafa sobre sua revolta diante da tragédia.
"O sentimento é de revolta. Era uma criança inocente, tinha tudo pela vida ainda. Fico imaginando a cena dele na hora gritando mamãe, pedindo ajuda e ninguém podendo ajudar. É triste”.
“Desde os três meses que eu cuidava dele para minha tia trabalhar. Ele se apegou rápido e me chamava de mamãe Laira”, contou.
No celular, Laira guarda várias lembranças de Luiz Davi. “Toda vez que ele me via já pediu meu telefone para tirar fotos. Ele adorava colocar língua e fazer a caretinha do cachorrinho. Mais bonitinho”, relembra.
Juan Miguel tinha 4 anos (Foto: Juliana Peixoto/G1)Juan Miguel tinha 4 anos (Foto: Juliana Peixoto/G1)
Juan Miguel tinha 4 anos (Foto: Juliana Peixoto/G1)
A mãe de Juan Miguel conta que a principal característica do filho único era a alegria de viver. "Ele era alegre, brincalhão e gostava de brincar de bola. Ele dormia abraçadinho comigo", disse Jane Kelly da Silva Soares, que não conteve as lágrimas.
"Eu estava pensando em mudar ele de escola, porque a gente ia mudar de bairro. Eu acordei o Juan hoje cedo para deixá-lo na creche e depois já vi ele morto no hospital”, relatou a mãe.
A avó do menino também descreveu o neto como um menino ativo e alegre. "Juan gostava de jogar bola, andar de bicicleta. Nós estávamos programando fazer um almoço aqui no Dia das Crianças e fazer um bolo para cantar os parabéns pra ele, porque não deu pra comemorar no dia do aniversário dele", afirmou.
Irmãos de Ana Clara mostram foto da menina  (Foto: Juliana Peixoto/ G1)Irmãos de Ana Clara mostram foto da menina  (Foto: Juliana Peixoto/ G1)
Irmãos de Ana Clara mostram foto da menina (Foto: Juliana Peixoto/ G1)
Ana Clara Ferreira Silva, outra vítima de 4 anos, estudava na creche havia dois anos, tinha um irmão gêmeo, Victor Hugo, e mais quatro irmãos. Três estavam na creche no momento do ataque e não sofreram queimaduras.
"A gente gostava de brincar de esconder e de cobra cega. Na televisão, a gente gostava de assistir Peppa Pig", disse Victor Hugo.
"Minha filha era muito especial, esperta. Era gente boa demais minha filhinha. A creche é aqui pertinho de casa, nós ouvimos o barulho e corremos pra lá", disse o pai das crianças Nelson de Jesus Silva.

Juan Pablo Cruz, 4 anos

Juan Pablo Cruz, 4 anos, uma das crianças mortas na tragédia na creche em Janaúba (Foto: Reprodução/Arquivo Pessoal)Juan Pablo Cruz, 4 anos, uma das crianças mortas na tragédia na creche em Janaúba (Foto: Reprodução/Arquivo Pessoal)
Juan Pablo Cruz, 4 anos, uma das crianças mortas na tragédia na creche em Janaúba (Foto: Reprodução/Arquivo Pessoal)
"Ele era um menino alegre. Nós escutamos falando no rádio que a creche que tinha pegado fogo era no Bairro Rio Novo. Meus dois sobrinhos estudavam lá, um morreu e o outro está ruim no hospital", contou Edna Pereira dos Santos, tia de Juan Pablo Cruz dos Santos, de 4 anos.

Renan Nicolas Santos, 4 anos

Renan Nicolas Santos,  4 anos (Foto: Arquivo Pessoal)Renan Nicolas Santos,  4 anos (Foto: Arquivo Pessoal)
Renan Nicolas Santos, 4 anos (Foto: Arquivo Pessoal)
Renan morreu na noite de quinta-feira, enquanto era transferido de Janaúba para Montes Claros. Ainda não há mais informações sobre sua morte, e seu corpo está no Instituto Médico Legal de Montes Claros.

Yasmin Medeiros Salvino, 4 anos

Cecília Davine G. Dias, 4 anos

Professora morreu no hospital (Foto: Juliana Peixoto/ G1)Professora morreu no hospital (Foto: Juliana Peixoto/ G1)
Professora morreu no hospital (Foto: Juliana Peixoto/ G1)
A professora Helley Abreu Batista, de 43 anos, morreu na noite de quinta. A educadora teve 90% do corpo queimado depois de lutar contra o agressor.
"A conduta dela foi heroica, ela mostrou que estava ali realmente pra proteger todas aquelas crianças”, disse o delegado Bruno Fernandes Barbosa sobre a professora.
Entre os colegas de profissão, Helley é definida como uma guerreira, que sempre cuidou dos seus alunos com muita dedicação. “Ela era muito cativante, alegre e conseguia envolver cada aluno com seu olhar peculiar. Ser professor é ser Helley Abreu”, disse Eliane Faria, pedagoga, que trabalhou como supervisora em uma escola onde a Helley lecionou, em 2016.
A professora era casada e deixa três filhos, de 1, 11 e 13 anos.
Vigia Damião Soares dos Santos, de 50 anos, tinha mania de perseguição e premeditou crime em creche de Janaúba (MG), diz polícia (Foto: Reprodução/Facebook)Vigia Damião Soares dos Santos, de 50 anos, tinha mania de perseguição e premeditou crime em creche de Janaúba (MG), diz polícia (Foto: Reprodução/Facebook)
Vigia Damião Soares dos Santos, de 50 anos, tinha mania de perseguição e premeditou crime em creche de Janaúba (MG), diz polícia (Foto: Reprodução/Facebook)
Autor do crime, Damião Soares dos Santos morreu na tarde de quinta, poucas horas após atear fogo em crianças dentro da creche.
O homem, de 50 anos, era funcionário efetivo da prefeitura desde 2008. A prefeitura informou que Damião pediu afastamento no mês de setembro alegando problema de saúde. Nesta quinta, ele foi à creche entregar o atestado médico e cometeu o crime. A prefeitura não esclareceu qual era o problema de saúde informado pelo funcionário.
O delegado Bruno Fernandes Barbosa disse ao G1, após entrevistar familiares do vigia, que desde 2014 ele já apresentava "sinais de loucura". "Ele alegava que a mãe dele estava envenenando a água, e que isso estava trazendo problemas", disse Barbosa.
Segundo o delegado, uma sobrinha de Damião disse que o tio falou esta semana que iria morrer.
"Apesar de não morar com família, e ter escolhido viver isoladamente, Damião se reaproximou da mãe nos últimos dias, dormiu com ela, e disse à uma sobrinha que iria dar um presente para a família, que iria morrer", contou o delegado.
A perícia indica que ele fechou três salas da creche, onde havia entre 55 e 60 pessoas, segundo o delegado Bruno. O homem teria ainda segurado as crianças, impedindo que elas saíssem.
"Tenho plena convicção de que o crime foi premeditado, ele escolheu a data de dia 5 de outubro porque o pai dele morreu no dia 5 de outubro, há três anos", disse Barbosa.
Segurança ateia fogo em creche em Janaúba (Foto: Editoria de Arte/G1)Segurança ateia fogo em creche em Janaúba (Foto: Editoria de Arte/G1)
Segurança ateia fogo em creche em Janaúba (Foto: Editoria de Arte/G1)
FONTE: https://g1.globo.com/mg/grande-minas/noticia/veja-quem-sao-os-mortos-na-tragedia-em-creche-no-norte-de-mg.ghtml
Veja a postagem completa »
These icons link to social bookmarking sites where readers can share and discover new web pages.
  • Digg
  • Sphinn
  • del.icio.us
  • Facebook
  • Mixx
  • Google
  • Furl
  • Reddit
  • Spurl
  • StumbleUpon
  • Technorati